quarta-feira, fevereiro 09, 2005

pele

"...estou cansado de ser quem sou. Preciso mudar. Deixar de ser um e passar a ser outro. Mas quem? E, porquê este desejo? Não sei. Não me reconheço. Estou cansado de mim. Quero renascer em ti. Mas tu, quem és? Que fazes aí? Porque olhas assim para mim? Achas que devo mudar, é? Mas, diz-me ao menos para quê? De que me serve mudar? Se mudando não mudo a minha alma? De que serve mudar se voltar a ficar cansado da mudança? Porque entendes que deve existir mudança? Não posso ficar aqui? Onde sou? Como estou? Para que vim? Para onde queres que eu vá? Diz-me. Faz-se tarde e a viagem tem de ser iniciada de novo. Já nada do ontem levarei comigo. Fica tudo ali onde fui eu, onde estive e me despi da pele que me cobre a alma agora desnuda. Levarei tão somente o que me vieres a dar. De mãos vazias te seguirei. Sim, irei. Estou cansado de mim. Preciso adormecer o meu ser. Não quero mais acordar aqui. Quero ir. Leva-me..."

6 comentários:

Mitsou disse...

Como dizes no título, é uma pele. Que nos cobre e nos molda. Que nos revela aos outros. Mas, mesmo mudando o interior, é nela que estão gravadas as marcas do tempo. E essas são imutáveis. Podemos, contudo, levá-la connosco na nova jornada sem que nos dificulte o caminho. Basta um sorriso confiante e o primeiro passo :)*

isa xana disse...

a nossa pele é a nossa pele. não podemos nem devemos querer mudá-a. ela faz parte de nós. revela-nos aos outros. tem gravada a nossa vida. ela guarda a nossa alma.
é preciso confiança na nossa pele, na nossa lama, no nosso eu:)
beijito

whiteball disse...

Mas...estará tudo a ver futebol ????
WB e Mocho

Nilson Barcelli disse...

Mudar de pele não é fácil, para além da sua utilidade ser questionável. E mesmo trocando muita da nossa pele continuamos a ser muito parecidos com a fase anterior.
De qualquer modo, mesmo sem o notarmos, estamos sempre a mudar, é preciso mudar, ainda que, muitas das vezes, apenas com pequenas nuances.
Belíssimo texto, que nos obriga a reflectir um pouco sobre nós próprios. Parabéns.
Abraço.

Ana disse...

Um apelo impressionante. Mudar por vezes faz falta. Mas, por favor, não mudes o essencial, aquilo que te faz único, o teu interior.Muda apenas a pele, se assim o entenderes, deixa ficar a alma.

UmEcoNaNet disse...

A nossa pele...Uma capa importante esta matéria que representa as formas como caminhamos e como permitimos que a matéria e a sua ilusão grave as suas rubricas. No entanto o seu interior será sempre a nossa condição intemporal e única, essa luz tem a razão e a sabedoria universal que nos faz correr e procurar. Não se perde, apenas esquecemos a sua existência. Vamos todos acordar e deixar que a nossa verdadeira natureza mostre a sua alegria de estar!Foi um prazer voltar a ler e encontrar este espaço lobices.UmAbraço