quarta-feira, fevereiro 16, 2005

pleno

"...com um pouco de loucura, viajo dentro de mim, olhando o meio em que me enleio, adicionando à vida um pouco de ternura, e parto à procura do dia em que me encontre pleno de mim mesmo, sem culpas nem perdões, apenas com laços de paz e bons e apertados abraços de solidões presentes nestes eternos momentos de carinhos ausentes..."

5 comentários:

isa xana disse...

plenitude... será que se consegue alcançá-la um dia?
jinhu

Carlos Barros disse...

este texto(poema) quase um esgar de sentimentos, ou um olhar sentido da alma de quem se liberta.
mas a ausencia também se sente e não é solidão.

Anónimo disse...

olá quim, no outro dia escrevi uma carta á vida e só depois me apercebi de uma coisa, sabes qual? a vida não está fora de nós, mas sim dentro de nós...nós somos a vida...
sofialisboa

isa xana disse...

acreditas que a alcançaremos um dia... tentarei acreditar em ti, entao:)

jinhu

musalia disse...

querido quim, dou-te o meu abraço de presença aparentemente ausente (e temporariamente).
beijos.