segunda-feira, agosto 14, 2006

busca

"... procuro em todos os poros do meu corpo a tua presença... vasculho a penugem que me cobre na busca de um traço teu, de uma marca deixada na selva do meu corpo... uso a mente na concentração do pensamento de todos os momentos vividos para os reencontrar em mim... uso a imaginação e penetro nas minhas artérias, nos meus músculos, nos meus tendões; tento ver as marcas que a tua estadia em mim deixou... minuciosamente, uso todos os meus sentidos: olho-me completo, milímetro a milímetro, cheiro-me, saboreio a minha pele e ouço o bater do meu coração, toco-me, acaricio-me... e vejo-te em mim, e sinto o teu cheiro a pétalas... o meu palato sente o sabor doce dos teus lábios, do teu beijo, do teu sal... ouço o sussuro das tuas palavras nos meus ouvidos e abandono-me aos teus devaneios... são pequenos nadas do meu dia a dia na procura de ti sempre presente em mim... são pequenos nadas da minha vivência enquanto tento olvidar os pequenos nadas da nossa ausência... olho-me sempre e vejo-te... e a tua presença é constante mesmo quando não estou a teu lado, mesmo quando não somos um só e nos fundimos de tal forma que tudo o que és fica indelevelmente gravado em mim..."

3 comentários:

Avaloner disse...

hum...belissimo...tb quero sentir assim. Será que se encontra duas vezes na vida esse sentido completo, esse sentimento que de físico tem apenas os corpos?
estive a ler a rampa e o preencher. Preenches bem os silêncios. Abraço da Nina

doce rosa doce disse...

Nas ausências, buscas em ti o que de ti deixas ficar. Um doce sabor e o encanto das palavras que tão bem sabes usar :)

Um beijo. Dos nossos.

Cleopatra disse...

È tão bonito.
Tão forte e ao mesmo tempo tão simples.
E tão poucos percebem a força dessa forma de sentir.
Parabéns pela escrita sempre rica e enriquecedora.