terça-feira, dezembro 07, 2004

ser

"...meditar um pouco, ainda que no bulício da vida ou no deambular dos silêncios que me cercam; meditar um pouco, mesmo que o vazio me preencha e nada me faça sentir que estou; meditar um pouco, ainda que o nada seja o tudo que procuro..."

2 comentários:

contadordehistorias disse...

Fiquei por aqui a meditar um pouco contigo, pensando no que realmente importa, se é que ainda algo faz sentido, se é que ainda faz sentido procurar alguma coisa.Cheguei à conclusão que os dias se fazem de forma diferente, mudando a nossa voz, conforme o nosso sorriso...

abraço

Anónimo disse...

A importância de descobrirmos em nós espaço e tempo para nos acolhermos (e recolhermos). A importância de entraremos em nós sem vestígios de mais nada, numa envolvência muito nossa. A importância de sermos muito nós, sem receios, sem medos, sem nada de nada que nos iniba de reflectir tb sobre o que e quem nos está fora (ou de nós está fora). Tudo. Tudo. Ou só parte.

Um grande beijo para ti, Quim.

Sandra
(Void)