sábado, junho 04, 2005

acordar

"...acordo e sinto o vazio ao meu lado... olho bem e vejo apenas um espaço por onde alongo os braços e as pernas... diviso um local que deveria estar preenchido para eu preencher e ser recebido... há apenas o olhar para as paredes que me cercam e a luz que entra pelas janelas do meu quarto... à noite, quando me deito, faço-o às escuras para não notar a falha mas já não o consigo evitar ao acordar... penso no tempo que passou para passar o tempo... penso no tempo que não passa para chegar outro tempo em que possa pensar que valeu a pena esperar tanto tempo... ser a folha num amar do vento... força tão estranha que acalento..."

12 comentários:

wind disse...

A ausência custa. bjs

augustoM disse...

Caro Joaquim, a ausência do amor poderia ser considerada como a ausência de um tempo para amar, mas não é, temos sempre um tempo para amar, o que nos pode faltar é um tempo para ser amado.
Um abraço. Augusto

Maite disse...

Ia postar um comment Lobices, mas vou já fazer uma reclamação ;) Ia abrir este espaço e mudou a foto! oh! Assim não vale! ;)
Já lhe disse que nesta foto está mais jovial e sereno mas a outra condiz mais com o lobo que tem em baixo. Mas ok, prontus, fique lá esta :) Retiro a reclamação.

Bom dia :)

Mitsou disse...

O dia acorda-nos, impiedoso, quando, por vontade nossa, continuávamos no reino dos sonhos. Mas se não acordarmos, a espera não acaba...:)*

Anónimo disse...

"Este é um convite para no dia 16 de junho fazermos juntos o Bloom-Blogsday. O Bloomsday é uma data festiva, que o mundo inteiro comemora, dedicada ao escritor irlandês James Joyce, cuja obra literária revolucionou a Literatura moderna. A data refere-se ao dia em que Joyce teve um encontro especial com sua futura mulher, Nora Barnacle. Esta data, em 1904, norteou “Ulisses”, protagonizado pelo personagem Leopold Bloom, do qual se extraiu o nome do evento, o Bloomsday. Pois bem, o Bloom-Blogsday será uma reunião blogueira para comemoração da data. No dia 16 postarei trechos de "Ulisses" e links com informações sobre o autor e sua obra. Quem quiser é só procurar o seu trecho favorito, ou um link, ou o que quiser sobre a obra, e enviar-me por e-mail (neste endereço ou em odisseialiteraria [arrôba] gmail.com) ou abrir a caixa de comentários no dia 16 de junho e postá-lo. Não se esqueça de colocar seu nome e a URL do seu blog. Se quiser, pode também divulgar. Um abraço.


Leandro Oliveira
2005 - Uma Odisséia Literária"

Anónimo disse...

"Para quem ama,não será a ausência a mais certa ,a mais eficaz ,a mais intensa a mais indestrutível ,a mais fiel das presenças?

Marcel Proust

Carlota

impressaodigital disse...

sentir falta ...
falta sentida...
custa, doi e magoa...fica a memoria do que se teve, a espereança do que se quer ter e o desejo do que não se tem...

bonito!

Anónimo disse...

Sou uma simples desconhecida, mas obrigada por me ter feito chorar e com isso me fazer ter a esperança de ainda poder sentir...

O Micróbio disse...

Pode ser estranha... mas não deixa de ser o que é... Força!

lazuli disse...

Lindo, como sempre...Força!*

Maite disse...

Boa tarde Lobices :)
Boa caminhada...aqui está um calor tórrido...só apetece estar em casa...no fresco.

Raquel V. disse...

"à noite, quando me deito, faço-o às escuras"

Olá... impressionante...
Conheço alguém que, mesmo que n tenha sido pelas mesmas razões com que imaginaste o teu texto, me contou que não acendia a luz para evitar o vazio...
Descreveste poeticamente o que ouvi e pude sentir um dia na voz dessa pessoa...

Um beijinho de boa semana e por me provares mais uma vez que a escrita (e essa capacidade de lhe seres fiel) é um retrato da vida, fidedigno, humano, cheio de alma e do melhor que podemos ter cá dentro!