sábado, junho 18, 2005

palavra

"...era apenas uma palavra aquela que ouvi de tua boca; não tinha som, não tinha letras nem soava bem nem mal mas ouvir era bom... que estranha sensação se tem em ouvir o que não é dito nem houvera sido prescrito para ser ouvido como algo suave ou como um grito... era apenas uma palavra aquela que ouvi de tua boca; lenta, pausada, correndo forte contra a corrente; base de tudo, suporte de nada e ao mesmo tempo no topo do mundo e apontando o meu norte... era apenas uma palavra aquela que ouvi de tua boca; forte, doce, grave, lenta, poderosa, suave... não tinha letras nem formava sentido, apenas era e não tinha fugido... ficara... ali, no meu ouvido... guardei-a na alma e fechei-a no meu coração... era apenas uma palavra dita com emoção... era apenas uma palavra sem sabor mas soava a prece como uma oração... foi uma palavra só, perdida, dita de uma vez sem atropelos, nem pressas nem deglutida como palavra ouvida... era apenas uma palavra sentida... não tinha som, não tinha letras... era apenas razão!..."

4 comentários:

wind disse...

Bonita palavra. bjs

Mitsou disse...

Bonitas palavras as tuas falando dessa palavra que só tu conheces :)**

Carmem L Vilanova disse...

Quim amigo
Hoje tem festa lá em casa e estás convidado.
Ficaria imensamente feliz com tua presença amiga!
Deixo-te muitos beijinhos cheios de saudades.

Bárbara Vale-Frias disse...

Infelizmente, a maioria das palavras estão condenadas ao esquecimento no exacto momento em que são proferidas...

Bom Domingo!