sexta-feira, julho 01, 2005

relíquia


...quem se lembra?... A juventude de hoje fala em "bombar"... Eu ainda me lembro de "dar à bomba" naquelas maquinetas primitivas de aquecer a sopa ao lado do fogão de lenha da minha avó... uma relíquia que faz parte da decoração do Restaurante Tromba Rija onde estivemos no passado Sábado...

14 comentários:

Freddy disse...

Tromba Rija...?
Mto bem! Para a próxima convida que por aqui também se gosta mto de comer!
Abraço da Zona Franca

Anónimo disse...

Lembro-me perfeitamente do fogareiro a petroleo faz parte do meu imaginario.Nasci na cidade de Lisboa ,sou alfacinha de gema na casa dos meus Pais havia fogão a gaz cidla mas lá estava sempre o fogareiro no caso de o gaz faltar imensas.Recuei uns anitos ,e uma lagrima caiu ao recordar essa época onde eu era totalmente feliz .
Obrigada Quim

Maria Ana

wind disse...

LInda relíquia:) bjs

Anónimo disse...

Também me lembro muito bem dos fogões "Primus" :)) Beijo grande e bom fim-de-semana!

Tempestade de Areia ;)*

paper life disse...

Bem, a relíquia sou eu que ainda aprendi a trabalhar com eles.

:)

Mordente disse...

O teu blog mantém a qualidade e sempre! Gosto de cá passar!

Pamina disse...

Também me lembro do velhinho (ups!) fogareiro de petróleo.
A minha mãe usava-o sobretudo durante as férias, nas casas que alugávamos perto da praia. Lá, ela cozinhava (e nós comíamos) quase sempre ao ar livre, no pátio ou jardim.
Bons verões, com muito mar e alguns bailaricos:)

Lucília disse...

Lembro-me muito bem!
Era eu pequenita e a minha mãe tinha um para as 'emergências'.
São relíquias a conservar.
Beijinho

andorinha disse...

Também eu me lembro dele em casa da minha avó em Cabeceiras.
E o Tromba Rija...foi há uma semana e é pena não ser amanhã.:)
Beijinho

Amada Mi!!! disse...

"Paz!"...foi o que realmente senti quando cheguei aqui. Lindas fotos...lindo porto...Porto!...como amo meu porto. Ele é lindo, ele é único. Paz para ti também, com carinho...

O Vizinho disse...

Já há uns tempos que não via um.
Tenho lá no meu alentejo bastantes "jóias" do género que enfeitam a casa dos meus avós e da minha mãe. Já tive o cuidado de lhes recordar que não as devem vender pois maior do que o valor monetário está o valor sentimental da recordação que nos trazem à memória.
Um abraço.

marakoka disse...

lembro-me disso sim... na ilha lhes chamavamos de "cozinheiras"a esses fogareiros

SaltaPocinhas disse...

Eu lembro-me! já não funcionava mas existia lá em casa!

Tão só, um pai disse...

Ainda ontem o vi à venda, e recordei a minha meninice no mato africano.
Um abraço.