domingo, maio 01, 2005

destino

"...Ontem, inesperadamente, rompeste a chorar... De há dias para cá, que a melancolia te anda a torturar sem verdadeiro motivo, ou talvez mesmo conhecendo tu a razão... E´ talvez a tua verdade a tomar consciência do teu destino... Uma infinidade de pequenas coisas obscuras contribuíram para formar essa angústia que te oprime e te faz sofrer... E o coração, em tumulto, quisera gritar o desespero que os lábios não sabem exprimir... Pois bem, o teu pranto é semelhante à chuva de Abril que torna mais verdejante o jardim... Talvez, pelo contrário, não consigas chorar, e semelhante angústia sacode-te com violência e abala-te o coração, a ponto de desejares morrer... Somente os olhos reflectem a tempestade interior e buscam em vão um pouco de azul... E tens a sensação de que, se pudesses chorar, te sentirias liberta... Mas não és capaz, e nem sequer podes falar... Sim, a tua angústia é semelhante a um céu fechado, que um dia se abrirá para fazer triunfar o sol... Porventura a tristeza que sentes é já um presságio... Talvez uma oferta inconsciente de amor para com tudo e para com todos... Talvez e apenas o teu simples destino de mulher..."

13 comentários:

Anónimo disse...

Um belo texto lobices, enternecedor.

Resto de bom domingo

Maite

marakoka disse...

Conflitos íntimos, angústia, o sentimento interno de aflição... traduzido no choro.
O corpo segue as palavras.! Quem? Ontem?! Sei lá!

Mitsou disse...

Terno, sábio e inspirador. Beijo grande.

Seila disse...

hoje,fica aqui um mimo ***

andorinha disse...

Mais um belo texto, Quim.
Um beijinho

Raquel V. disse...

Escreves e descreves muito bem os sentimentos humanos a diversos níveis mas deves passar o tempo a ouvir isto...


Um dia gostava de chegar lá...
Beijinho

Married disse...

Angústia gerada pela dependência física e emocional, própria de seres frágeis e carentes.

Blue C. disse...

Nem sempre chorar é mau, sabias? Chorar é uma catárse. Beijinho de Luz

jotakapa disse...

Excelente. Como já me habituei sempre que aqui venho, cá está mais um texto que bem nos fala sobre os sentimentos!

circe disse...

E, após cada blackout ( enquanto se
desmaquilha no silêncio do camarim
com a ajuda das lágrimas), o clown
restaura - num soninho encantado -
as forças para o próximo amanhecer... :)

Drika disse...

O teu blog é um verdadeiro sonho! Adoro os teus posts!

Anónimo disse...

mais um texto lindíssimo, que nos deixa bem cientes do quão forte é o amor de um filho, deste filho.

bem-haja

Anónimo disse...

mais um texto lindíssimo, que nos deixa bem cientes do quão forte é o amor de um filho, deste filho.

bem-haja