sexta-feira, maio 27, 2005

poetas

"...Há poetas que têm asas... e poesia em cada voo. Há poetas que nos enchem a casa... e que reencontramos em cada dor. Há poetas que são fogo e água e sol e terra... e de todos os elementos plasmam novo ser. Há poetas... que são simplesmente poetas. Há poetas... que ainda nem sabem que o são. Há poetas... imensos!... Eu conheci um dia um desses poetas... e sei hoje que um poeta nunca morre. Faz-se em vida mesmo na morte, solta asas e leva-nos no vento... protege-nos e faz-se ao caminho connosco. Peregrina em nós... que com ele peregrinamos... Bebemos o sorriso dos poetas... vemos pelos seus olhos, e por detrás desses olhos, uma alma brilha e ilumina cada recanto escuro da nossa própria alma. É em dias de negro e frio que mais precisamos dos poetas... são fonte, força e semente... Um poeta nunca mente... "chega a fingir que é dor a dor que deveras sente"... é nosso espelho e nosso sonho... é madrugada e fim de tarde... lua nova e lua cheia... São perenes todos os poetas... renascem e renascem... mesmo sem nunca morrer. Nada destrói nem a voz nem o sentir dos poetas... Podem ser usados, abusados, enegrecidos e deturpados... simplesmente são. Podem ser retalhados, citados e aviltados... Podem ser usados como arma de arremesso... Podem ser teorizados e complicados... Podem ser mitificados e cristalizados... Podem até servir de pasto em fogueiras inquisitoriais... Não são bíblia nem credo... e não se deixam rezar. Não são ameaça apocalíptica. Não são propriedade de ninguém. Não são espada nem guilhotina. Não cabem na pena nem no ódio de quem deles se apropria. São só poetas... são simplesmente imensos... não cabem em nenhuma semana nem se deixam aprisionar por nenhuma alma negra. São asas... não são anjos. E se agora sei, como tão bem sei, que as palavras nos podem fazem voar, que às vezes nos levam para lá do mar, em asas de vento, de dor e de amor... (mesmo sabendo que em palavras e por palavras se invocam os anjos...) sei também, como sabemos todos, que não há palavras que cheguem para fazer um anjo..."
.
(from Bea at 24.01.01 in Sapo)

9 comentários:

Mitsou disse...

Belíssimo texto e felicito a sua autora. A ti, que teces poemas nas prosas que escreves, envio um beijo nas asas do vento :)*

woelfin disse...

What makes you extraordinary
in every way
is that with you, within my life
no day is ordinary or alike...

bj :)

marakoka disse...

Há palavras que fazem bater mais depressa o coração – todas as palavras – umas mais que as outras, qualquer mais que todas. Conforme os lugares e as posições das palavras. Segundo o lado de onde se ouvem – do lado do Sol ou do lado onde não dá Sol. Cada palavra é um pedaço de Universo. Um pedaço que faz falta ao Universo. Todas as palavras juntas formam o Universo. As palavras querem estar nos seus lugares!
Almada Negreiros

woelfin disse...

Citando Lobices:

"Vê-se melhor o que é amar quando é difícil amar, ..." ?

Maite disse...

Boa noite Lobices
Nada como um bom escritor para só ele saber exprimir por palavras, os sentimentos que todos podemos sentir mas temos dificuldade em traduzir em palavras.
:)

betania disse...

Pudesse eu entender os poetas...

Beijinhos

Menina_marota disse...

Já dizia o Poeta: "Há palavras que nos beijam..."
Lindo o texto que escolheste para nos oferecer!

Estou muito feliz por estar de volta!!!

Deixo-te um abraço carinhoso e bom fim de semana :-)

wind disse...

Bom texto da autora:) bjs

Raquel V. disse...

"como tão bem sei, que as palavras nos podem fazem voar, que às vezes nos levam para lá do mar, em asas de vento, de dor e de amor..."


O que mais desejo...