quinta-feira, maio 05, 2005

saldo

"...nunca estranho o sabor de uma derrota
...apenas pelo facto de já a ter combatido;
...não estranho, pela razão de que ele de mim brota
...em pequenos traços de um pincel combalido
...de pêlos de crina de algum cavalo um dia alado
...ou mesmo daqueles que cavalgam na vinda e na ida...
...é o sabor da derrota que me dá o gosto da vitória
...quando a alcanço no dia a dia em que debito a memória
...e na minha alma credito o saldo da minha vida..."

6 comentários:

Mitsou disse...

Felizes os que mantêm um saldo da vida positivo. Belíssimo texto, Quim. Beijo grande.

Invisible disse...

Viva, encontrei um comentário seu no "Blog de uma desconhecida".
Depois constatei que temos o mesmo livro favorito.
Belo poema este, é original?
Posso publicá-lo no meu blog?
(Depreendo do seu silêncio que a resposta é afirmativa :), farei o respectivo link)
Obrigado

andorinha disse...

É verdade, Quim, o travo amargo das derrotas é que nos dá o sabor das vitórias.
Um beijo

Menina_marota disse...

A vida plena é o saldo positivo, entre o bom e o mau que nos acontece...

Eu recordo sempre o bom...

Abraço ;-)

Raquel V. disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Raquel V. disse...

É muito bom ler-te! Sem exageros ao dizê-lo!
Há qq coisa na escrita "a sério" que nos deixa menos vazios...

Um bom fim de semana :)